Prefeita da Capital

Ao Balanço Geral, Cinthia pontua ações e responde sobre Amastha, eleições e prisão de ex-secretário

Gestora afirmou que não haverá polarização no pleito eleitoral.

Por Thiago Douglas (TV Jovem) 813
Comentários (0)

30/12/2023 13h48 - Atualizado há 4 meses
Prefeita de Palmas durante entrevista ao Programa Balanço Geral

A prefeita de Palmas, Cinthia Ribeiro (PSDB), participou na última sexta-feira (29), de uma entrevista no programa Balanço Geral da TV Record, comandado pela apresentadora Chayla Félix. A gestora fez um balanço de 2023, pontuando sobre vários desafios enfrentados, como no transporte público, infraestrutura, prisão de ex-secretário e política. 

Cinthia comentou que um dos maiores desafios de 2023 foi a prefeitura de Palmas ter assumido de forma integral o serviço de transporte da Capital. Anteriormente a prestação de serviço era feita por três empresas por meio de uma requisição administrativa que durou 30 anos. “Foi um ano marcado por muita coisa, boa, muita luta. A gente cresce nestes momentos de grande dificuldade”, destacou. 

A prefeita afirmou que a decisão de finalizar o contrato com as empresas veio após pedido da população por melhorias no serviço. “Hoje, querendo ou não, nós vivemos uma nova fase, um ano se passou, nós apresentamos novas medidas diferentes, hoje as mulheres podem ter mais segurança ao utilizar o transporte coletivo”, pontuou.

Ela afirmou que hoje Palmas possui uma frota de 30 novos ônibus, e que outros 70 estarão em circulação em breve. 

A prefeita disse que há muitas situações a serem trabalhadas, lembrou que não houve aumento na tarifa e que novos pontos já começaram a ser construídos. Segundo ela, serão implantados 400. Até janeiro serão entregues de 27 a 30 pontos padronizados. Serão feitas também a revitalização das estações mais movimentadas, e implantadas câmeras de segurança. 

Infraestrutura nos bairros

A gestora comentou sobre a regularização de vários setores e destacou o Lago Norte com um dos que mais avançaram no processo. “O Lago Norte, assim como vários setores da cidade, precisava da regularização fundiária. Nós entregamos no primeiro semestre aproximadamente 2 mil títulos, e ainda tem mais títulos para serem entregues. Com a regularização do Lago Norte, o bairro pode receber todos os investimentos públicos, pode e deve receber asfalto, iluminação, posto de saúde. Agora estamos correndo contra o tempo, tenho mais um ano de mandato e vamos ter que fazer assim, muita coisa em um curto espaço de tempo. Mas é um compromisso que eu fiz com o Lago Norte e eu faço questão não só de assumir, mas também de honrar a população que agora tem o setor regularizado.” contou. 

Ao ser questionada sobre as cobranças da população relacionadas ao Posto de Saúde para os Setores Araras 1 e 2, ela disse. “Começamos o ano letivo com um CMEI para 520 crianças dentro do Araras. Foi um compromisso que nós fizemos. O projeto para o Posto de Saúde já está movimentado, com dinheiro na conta e assim que concluirmos a entrega do CMEI já começamos com o Posto de Saúde”.  

Prisão do ex-secretário de Desenvolvimento Urbano

A prefeita também falou sobre a prisão do ex-secretário de Desenvolvimento Urbano Edmilson Vieira das Virgens, preso em flagrante pela Polícia Federal suspeito de lavagem de dinheiro durante uma operação que apreendeu milhões de reais em espécie dentro de um apartamento.

“Isso foi algo que deixou todos nós da gestão, em particular a mim, muito tristes. Contra fatos não há argumentos, agora é necessário a gente entender que não podemos condenar uma pessoa antes da própria justiça conclua o inquérito”. 

A prefeita esclareceu que a prefeitura da Capital colaborou com as investigações. “Nós não podemos condenar a pessoa, mas também não podemos fechar os olhos e fingir que nada aconteceu. Quem vai dizer sobre a veracidade dos fatos é a investigação, bem como as pessoas que estão envolvidas.”

Amastha

Ao ser questionada sobre uma reaproximação e aliança com o ex-prefeito Carlos Amastha (PSB), ela declarou. “Eu acho que nós não podemos retroceder na vida, olhar para trás. O retrovisor do carro é pequenininho, para você ter um ponto para olhar onde que errou atrás e não repetir o mesmo erro, mas o para-brisa do carro que olha para frente é muito maior que o retrovisor. Palmas hoje está em um patamar de excelência, temos hoje que pensar no que tem por vir para frente; olhar para trás, ficar com julgamento, passando recibo de coisas que podia, que teria que ser feito é um discurso que tem que ficar lá atrás mesmo, só no ponto de referência do retrovisor. Mais do que isso a gente precisa entender que a humildade está na pessoa reconhecer a viabilidade de uma aliança, a gente tem que pensar que a aliança está no sentido macro de se pensar a cidade”, declarou. 

Veja também

Em contrapartida, destacou que coisas boas também vieram por conta da gestão passada, disse que não foi uma escolha do partido e sim de Carlos Amastha. E lembrou da campanha. “Eu fui eleita em 2016 junto com o Amastha, eu andei as ruas com a dona Glô (esposa de Amastha), que é uma pessoa que eu tenho maior carinho e admiração, pensa em uma mulher nota 10, nos bairros mais difíceis onde a avaliação da gestão estava péssima, quem colocava a cara éramos eu e ela a pé, de porta em porta, falando sobre a gestão”. 

“Em 2018 nós não tivemos tempo de descontruir o que estava para trás, pelo contrário, o que está ai e é bom e merece avançar. Nós avançamos na política habitacional, na coleta de lixo seletiva, no projeto Palmas Solar, e tudo isso foi colocado pela gestão anterior. Então não é justo jogar pedra e sair descontruindo aquilo que está lá. Eu acho que a humildade está em reconhecer as coisas boas que contribuíram na vida da gente e construir política de estado”, disse.

Apostas para 2024

Sobre suas apostas de apoio para assumir o Paço Municipal, a prefeita disse que segue avaliando os nomes como eleitora. “Estou fazendo uma avaliação como eleitora, obviamente tem coisa que a gente não quer de jeito nenhum, que a gente não quer nem imaginar um cenário de filme de terror, mas tem obviamente pessoas com um projeto bacana, com bons nomes, tem pessoas que ainda não colocaram o nome e sequer estão filiadas, mas que são pré-candidatas. Então virão coisas boas, então nós não vamos ter que escolher entre o ruim e o menos pior, polarizar nada. Essa é uma política de continuidade”, finalizou.

Comentários (0)

Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.

(63) 3415-2769
Copyright © 2011 - 2024 AF. Todos os direitos reservados.