Em Araguaína

Justiça interroga mãe, filha e executor da morte de Ana Zilda; processo segue para alegações finais

Uma testemunha de defesa também foi ouvida

Por Redação
Comentários (0)

09/02/2024 08h06 - Atualizado há 2 semanas
Fórum da Comarca de Araguaína.

A segunda audiência de instrução dos três acusados de tramar e executar a morte da trabalhadora Anazilda Santos Almeida, em outubro de 2023, em Araguaína, foi realizada nesta quinta-feira (08/02). Os trabalhos foram conduzidos de forma virtual pelo juiz Carlos Roberto de Sousa Dutra, da 1ª Vara Criminal.

Também foi ouvida uma testemunha de defesa, além dos três denunciados pelo Ministério Público do Tocantins (MPTO) - Francisca da Silva Batista e Lara Eduarda Batista da Cruz - mãe e filha -, respectivamente, e o executor do crime, Welerson da Silva Monteiro.  Eles são acusados de homicídio triplamente qualificado por motivo torpe, meio cruel e por emboscada, além de furto, já que a bolsa e o celular da vítima foram levados após o espancamento.

Depois dos interrogatórios, o MPTO pediu vistas do processo para apresentar memoriais, o que foi deferido pelo juiz. Assim que a ata for publicada, a promotoria será intimada para alegações finais e, em seguida a defesa. Ambos terão um prazo de cinco dias. Somente após essa etapa, o juiz profere a decisão de pronúncia ou impronúncia, ou seja, se os acusados vão ou não a Júri Popular.

Comentários (0)

Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.

(63) 3415-2769
Copyright © 2011 - 2024 AF Notícias. Todos os direitos reservados.