Chefe do MPTO

Após 21 anos, promotor de justiça é nomeado para cargo máximo do MP do Tocantins

A posse do novo PGJ acontecerá em 14 de dezembro.

Por Redação
Comentários (0)

30/10/2020 08h14 - Atualizado há 1 mês
Cargo será ocupado por um promotor de Justiça após 21 anos

Foi publicado no Diário Oficial do Estado desta quinta-feira, 29, a nomeação do promotor de Justiça Luciano Casaroti ao cargo de Procurador-Geral de Justiça do Ministério Público do Tocantins (MPTO) para o biênio 2021/2022. A assinatura do ato aconteceu em Gurupi, quando o governador Mauro Carlesse estava em visita à cidade. 

Luciano Casaroti foi escolhido na lista tríplice formada pelos três candidatos mais votados em eleição, exclusiva para membros, ocorrida no dia 16 de outubro. Casaroti obteve 67 votos, Abel Andrade 62 e Marcelo Sampaio 57.  

O cargo será ocupado novamente por um promotor de Justiça após 21 anos, já que o posto se tornou exclusivo a Procuradores de Justiça, a partir de 1999.  

O  promotor de Justiça nomeado disse estar preparado para a missão. “Este é um momento histórico para o Ministério Público tocantinense. Vou trabalhar incansavelmente para fortalecer a atuação dos integrantes da nossa Instituição, visando a defesa dos interesses da sociedade e a primazia no atendimento ao cidadão.  Agradeço ao governador do Estado pelo ato democrático em respeitar a vontade dos membros e também aproveito para agradecer aos meus quatro colegas que disputaram o pleito, por colocarem seus nomes para escolha.”, disse Luciano Casaroti. 

A posse do novo PGJ acontecerá em 14 de dezembro, Dia do Ministério Público, conforme prevê a Lei Orgânica da instituição. Luciano Casaroti assume o posto em substituição à Procuradora de Justiça Maria Cotinha Bezerra, que ocupou o cargo após a aposentadoria do procurador de Justiça José Omar de Almeida Júnior, no fim de 2019.

PERFIL

Luciano Cesar Casaroti é promotor de Justiça no MPTO desde abril de 2010, com atuação nas comarcas de Ananás, Tocantinópolis, Formoso do Araguaia, Alvorada, Arapoema, Itacajá e Xambioá. Atualmente é o titular da Promotoria de Execução Penal de Araguaína.

Foi membro do conselho editorial da Revista Jurídica do MPTO e é coautor de livros jurídicos pelas editoras Saraiva e Juspodivm. De 2009 a 2010, foi professor na Faculdade Damásio de Jesus e no curso preparatório para a OAB da referida faculdade.

Foi eleito presidente da Associação Tocantinense do Ministério Público (ATMP) por três gestões consecutivas; Também é diretor da Região Norte da Associação Nacional dos Membros do MP (Conamp) na gestão 2020/2022. Foi membro do Conselho Fiscal da mesma instituição no biênio anterior e integrante de diversas comissões e grupos formados pela Administração Superior.

(Denise Soares/Ascom MPTO)

Comentários (0)

Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.

(63) 3415-2769
Copyright © 2011 - 2020 AF Notícias. Todos os direitos reservados.