Nota à imprensa

Candidato a desembargador, Paulo Roberto da Silva nega boato de vídeo contra advogada

Seis advogados estão concorrendo à vaga pelo Quinto Constitucional.

Por Redação 2.133
Comentários (0)

04/05/2022 15h28 - Atualizado há 3 meses
Advogado Paulo Roberto Silva

Indicado na lista sêxtupla de candidatos a desembargador do Tribunal de Justiça do Tocantins (TJTO), o advogado de Araguaína Paulo Roberto da Silva divulgou nota à imprensa refutando boatos de que ele estaria tentando prejudicar uma advogada que também concorre ao cargo pelo critério do 'Quinto Constitucional'.

Os seis nomes de advogados e advogadas foram escolhidos por meio de votação do Conselho da Ordem dos Advogados do Brasil – Seccional Tocantins (OAB-TO).

Em um vídeo divulgado nas redes sociais, um youtuber afirma ter sido procurado por um amigo, supostamente a pedido de Paulo Roberto, para que gravasse um vídeo contra uma colega advogada.

VEJA MAIS

Em nota, o advogado criminalista afirmou que o youtuber fez uma grave acusação sem apresentar nenhuma prova.

“Assisti, sem querer acreditar no que via, um verdadeiro ataque contra a minha pessoa. Uma grave acusação sem apresentar nenhuma prova. Ao ver a gravação, inicialmente, preferi não comentar, visto que de tão absurda que a postagem se revela, talvez não merecesse resposta. Contudo, em nome da transparência, respeito às pessoas, ética e probidade com que sempre guiei minha vida pessoal e profissional, hoje entendi que deveria dar uma resposta não ao agressor, mas à sociedade tocantinense, à advocacia e a todo o nosso sistema de justiça”, afirmou Paulo Roberto da Silva.

Conforme o advogado, o autor do vídeo nutre mágoa por ele não ter aceitado seu pedido, tempos atrás, para oferecer uma denúncia contra um juiz e um promotor de justiça.

"Ora, se eu não aceitei patrocinar a causa contra o juiz e o promotor que o militar da reserva queria processar, porque iria atrás de seu desserviço para atacar uma colega advogada? Não faz nenhum sentido tal devaneio. Sinceramente não”, rebateu Paulo Roberto.

O advogado ressaltou que a jurisprudência do Supremo Tribunal Federal (STF) já pacificou que “liberdade de expressão não é liberdade de agressão”.

"Reitero, portanto, meu respeito a todos os candidatos da disputa ao cargo de desembargador, especialmente à colega citada na gravação, a quem considero, assim como sua família, amigos pessoais que,  inclusive, nunca tivemos o menor desentendimento, muito pelo contrário”, reforçou Paulo Roberto da Silva.

Ainda conforme o advogado, as acusações desonestas não terão a mínima condição de lhe atingir e muito menos atingirão a convicção dos desembargadores do TJTO para fazerem suas escolhas livres e conscientes - a quem o autor do vídeo estaria tentando intimidar.

"O meu currículo profissional e história de vida pessoal atestam a meu favor que nunca precisei utilizar de práticas semelhantes às que o “jornalista” fez contra mim para galgar espaço, posições ou vitórias pessoais. Porque sempre acreditei e exerci a honestidade, o respeito, a ética, a boa-fé e a técnica jurídica. Virtudes e valores que levarei comigo no exercício de qualquer missão que a vida me reservar", finalizou.

Comentários (0)

Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.

(63) 3415-2769
Copyright © 2011 - 2022 AF Notícias. Todos os direitos reservados.