Críticas

Célio Moura repudia deputados do Tocantins por privatizações: 'efeito Bolsonaro na veia'

O parlamentar petista classificou as medidas como 'pacote de maldade'.

Por Redação 955
Comentários (0)

25/06/2020 14h19 - Atualizado há 2 semanas
Deputado federal petista Célio Moura

O deputado federal Célio Moura (PT/TO) fez duas críticas à Assembleia Legislativa do Tocantins após a aprovação de um pacote que inclui a privatização total da Energisa, mudanças no Igeprev e a concessão de oito trechos de rodovias estaduais à iniciativa privada.

O parlamentar disse que os deputados estaduais aprovaram um "pacote de maldade" e deram um "presente de grego" ao povo tocantinense. 

"No meio de uma crise sanitária de proporção sem igual, 'passaram a boiada' em nossos direitos, aprovaram retrocessos sem debater amplamente com a população (que vai pagar mais caro), sem consultar os sindicatos e pensadores, tudo costurado sem nenhum respeito ao contribuinte, cidadão e cidadã tocantinense à toque de caixa", disparou Célio Moura.

PRIVATIZAÇÃO DA ENERGISA

A Assembleia autorizou o Governo do Estado a vender sua participação acionária de 23% na concessionária Lajeado S.A (Energisa). O Governo estima arrecadar até R$ 600 milhões. Através de emenda, a bancada de Araguaína conseguiu incluir no projeto a previsão de que 30% dos recursos arrecadados com a venda das ações sejam destinados à construção do HGA (Hospital Geral de Araguaína).

"Todos sabem o péssimo serviço que a Energisa nos presta: altíssimo custo para o consumidor e precarização do atendimento e trabalho prestado. Ou seja, o cenário é de preço alto, trabalho ruim e insuficiente. Tudo isso aprovado pelos que deveriam defender o interesse da população. É lamentávelmente o efeito Bolsonaro na veia da Assembleia", criticou.

CONCESSÃO DE RODOVIAS À INICIATIVA PRIVADA

Quando à concessão das oito rodovias, o Governo do Estado pretende atrair R$ 5 bilhões.

"Eles vão tornar a vida dos trabalhadores e trabalhadoras ainda mais difícil, por exemplo, quando se privatiza as rodovias significa que vão cobrar pedágio (de entrada e de saída) de quem for viajar, visitar amigos e parentes, trabalhar fora. A questão da carestia no preço da alimentação também é um fator preocupante, já que com a privatização todo o alimento que vier de fora ficará mais caro", explicou.

INJUSTIÇA SOCIAL

Por fim, o deputado manifestou repúdio à privatização e aos deputados e disse que isso simboliza o agravamento da injustiça social.

"O momento é de diminuir o custo de vida, facilitar ao máximo que as pessoas tenham acesso ao básico com dignidade, a crise econômica é enorme, ninguém está em condição de enriquecer empresa privada em detrimento da valorização do serviço público de qualidade para todos. Privatização NÃO é solução. É agravamento de injustiça social", finalizou.

VEJA MAIS

Motoristas terão de pagar pedágio para trafegar em oito rodovias no Tocantins; veja quais

Hospital Geral de Araguaína pode sair do papel com dinheiro de privatização de empresa

Comentários (0)

Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.

(63) 3415-2769
Copyright © 2011 - 2020 AF Notícias. Todos os direitos reservados.