Certame unificado

Concurso unificado no Tocantins tem provas canceladas para três cargos devido a irregularidades

O certame ofertou mais de 500 vagas e salários de até R$ 8 mil. 

Por Agnaldo Araujo 3.238
Comentários (0)

06/02/2020 14h27 - Atualizado há 9 meses
As provas foram aplicadas em 26 de janeiro

A banca organizadora do concurso unificado das prefeituras de Palmeirópolis, São Salvador e Jaú do Tocantins, a Unitins, tornou sem efeito a aplicação das provas objetivas de três cargos e marcou nova data para reaplicação do exame.

A Unitins aplicou as provas para todos os cargos no dia 26 de janeiro de 2020 e divulgou apenas o gabarito preliminar até o momento. O certame ofertou mais de 500 vagas e salários de até R$ 8 mil. 

Segundo a própria Unitins, a análise de recursos de candidatos constatou divergência de provas para o cargo de psicólogo. Já as provas para técnico dos sistemas socioassistênciais e técnico de nível superior dos sistemas socioassistênciais não obedeceram ao previsto no conteúdo programático do edital.

Deste modo, para garantir a isonomia do concurso, sem prejudicar nenhum dos candidatos, será realizada nova aplicação das provas objetivas dos cargos mencionados na data de 08 de março de 2020”, garantiu a Unitins.

A banca ainda afirmou que a nova aplicação garante a todos os candidatos com inscrições confirmadas para os cargos a oportunidade de realizar essa etapa do concurso em igualdade de condições.

Um novo cronograma de execução específico para os três cargos será disponibilizado no endereço eletrônica da banca.

Investigação do MPTO

O Ministério Público do Tocantins (MPTO) apurava denúncia de irregularidades no concurso unificado, mas resolveu arquivar o inquérito após a Unitins remarcar as provas.

A denúncia feita na ouvidoria do órgão relatava que um despertador de celular tocou nas salas 03 e 04 da Escola Municipal Vila Bom Tempo, em Palmeirópolis, e nenhuma providência foi tomada, pois o aparelho não foi identificado.

A mesma denúncia detalhava que as provas do cargo de psicólogo da sala 03 da mesma escola foram violadas, uma vez que não chegaram no envelope lacrado; divergência de provas do cargo de psicólogo; confusão de gabaritos da área; e substituição da prova.

O arquivamento da investigação foi justificado pelo promotor Célem Guimarães Guerra Júnior, da promotoria de Justiça de Palmeirópolis. “O inquérito merece ser arquivado pela solução da demanda, já que haverá reaplicação das provas referentes ao concurso público em exame e as reclamações foram especificamente direcionadas para os cargos que serão objeto de nova avaliação em 08/03/2020”, disse.

As fases do concurso estão disponíveis aqui.

Comentários (0)

Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.

(63) 3415-2769
Copyright © 2011 - 2020 AF Notícias. Todos os direitos reservados.