Sigilo será mantido

MPE-TO procura mulheres abusadas sexualmente pelo médium João de Deus

O órgão informou que a identidade das pessoas e as informações prestadas ficarão em sigilo.

Por Redação 543
Comentários (0)

13/12/2018 10h01 - Atualizado há 5 meses
Médium João de Deus

O Ministério Público do Tocantins irá colher e registrar possíveis denúncias de vítimas abusadas sexualmente pelo médium João Teixeira de Faria, mais conhecido como João de Deus.

O órgão garantiu que a identidade das possíveis vítimas e as informações prestadas ficarão em sigilo.

A atuação do MPE-TO ocorre em auxílio ao mesmo órgão do Estado de Goiás, que investiga os casos supostamente ocorridos na Casa Dom Inácio de Loyola, espécie de hospital espiritual em Abadiânia, interior goiano.

Na terça-feira (11), o MPE-GO enviou ofício aos procuradores-gerais dos Estados, inclusive do Tocantins, em razão da possível existência de vítimas em outros locais.

Após a solicitação, o Ministério Público do Tocantins informou que os promotores de Justiça das 42 comarcas do Estado estão à disposição para o acolhimento e registro das denúncias.

O caso

Na última sexta-feira (07), o programa ‘Conversa com Bial’ trouxe entrevistas de mulheres que relataram ter sofrido abusos sexuais cometidos pelo médium João de Deus durante suas consultas espirituais em seu templo ecumênico.

Desde então, devido à repercussão da imprensa, outras mulheres de vários Estados têm procurado o Ministério Público para registrar denúncias contra o médium.

Comentários (0)

Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.

(63) 3415-2769
Copyright © 2011 - 2019 AF Notícias. Todos os direitos reservados.