Chocante

Polícia Civil prende marido que espancou esposa e ainda atirou na cabeça em Araguacema

Crime chocou a população de Araguacema, na região oeste.

Por Redação 1.828
Comentários (0)

14/01/2021 14h22 - Atualizado há 1 semana
Crime teria ocorrido em 03 de janeiro deste ano

A Polícia Civil prendeu preventivamente, na manhã desta quinta-feira (14), o engenheiro Jonas Britto Bukoski, de 39 anos, suspeito de tentar matar a esposa no dia 03 de janeiro deste ano em Araguacema, região oeste do Tocantins.

Segundo o delegado Antônio Onofre Oliveira da Silva Filho, as investigações apontaram que a vítima convivia em regime de união estável com o suspeito há cerca de 11 anos.

O casal morava em uma residência localizada em uma propriedade rural no município, mas a vítima optou por residir na zona urbana de Araguacema há cerca de quatro meses.

VEJA O CASO

Dos fatos

No dia 03 de janeiro, durante a comemoração do aniversário de uma das filhas da vítima com o suposto agressor, houve um desentendimento após as festividades, onde a vítima teria relatado que desejava permanecer mais tempo na fazenda com os filhos, fato que irritou o agressor.

“Em determinado momento, o suposto autor passou a discutir ao ver a vítima chorando no quarto, tornando-se extremamente agressivo, desferindo um soco em seu rosto e ordenando que a mesma o acompanhasse e adentrasse em seu veículo, tomando rumo desconhecido pela zona rural”, ressaltou a autoridade policial.

Tentativa de feminicídio

De acordo com as investigações, durante o trajeto e a todo momento o agressor afirmava que a vítima iria morrer. O mesmo chegou a parar o veículo em frente a uma lavoura de soja e passou a apontar uma espingarda contra a nuca da vítima.

Segundo o depoimento, o suposto autor teria disparado duas vezes em direção da vítima, mas a arma falhou. Já o terceiro disparo foi deflagrado, tendo atingido a nuca da mulher, que conseguiu escapar e correr em direção à vegetação fechada para fugir do agressor, que ainda continuava afirmando que terminaria de matá-la, desta vez de posse de um facão.

Ainda conforme depoimento da vítima, ela teria relatado que passou a noite inteira fugindo de seu agressor pela mata. Em determinado momento, chegou a atravessar um rio a nado e improvisar calçados utilizando roupas íntimas (sutiã), sofrendo diversos tipos de ferimentos causados pela vegetação.

Apenas no final da tarde do dia seguinte é que a vítima foi resgatada por um casal de agricultores familiares residentes em um projeto de assentamento localizado na região.

Pelo depoimento, a vítima teria informado que o suposto agressor passou a procurá-la na região, sem relatar os fatos ocorridos na véspera. Já em segurança e com escolta policial, a mulher então foi conduzida ao Hospital Municipal de Araguacema, e posteriormente, encaminhada ao Hospital Regional de Paraíso do Tocantins, onde recebeu os devidos cuidados médicos.  

Diante dos fatos levados ao conhecimento da Polícia Civil e em decorrência da situação de perigo vivida pela vítima, bem como para preservar a integridade das investigações, o delegado Antônio Onofre solicitou a prisão preventiva em desfavor do investigado, que nos dias posteriores ao ocorrido, havia se apresentado na delegacia, porém negando a autoria dos fatos.

Assim, com a ordem de prisão concedida, os policiais civis passaram a empreender diligências e, nas primeiras horas da manhã desta quinta-feira (14), efetuaram a localização do suspeito e conseguiram capturar o homem, que se encontrava em sua residência. Logo em seguida, ele foi conduzido até a sede da 53ª delegacia, onde a autoridade policial deu cumprimento ao mandado de prisão em aberto.

“Ele será indiciado pelo crime de feminicídio Tentado, crime previsto no artigo 121, §2º, VI, c/c artigo 14, II, ambos do Código Penal Brasileiro”, ressaltou a autoridade policial.

Ainda de acordo com o delegado Antônio Onofre, a vítima, em seu depoimento, relatou que há muito tempo sofria agressões físicas, morais e psicológicas por parte do suspeito.

“Este fato, infelizmente ainda comum em nosso país, deve ser combatido e denunciado para que novos casos não se repitam. Apesar do sofrimento passado e das sequelas físicas e psicológicas que permanecerão, conseguimos preservar a vida da vítima e conseguimos elucidar esse crime bárbaro que causou muita comoção em toda a população da cidade de Araguacema. A Polícia Civil reafirma o compromisso de combater todas as formas de violência, notadamente contra mulheres”, afirmou.

Após a realização dos procedimentos legais cabíveis, o investigado foi recolhido na Cadeia Pública de Araguacema, onde permanece à disposição da justiça.

Comentários (0)

Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.

(63) 3415-2769
Copyright © 2011 - 2021 AF Notícias. Todos os direitos reservados.