Acordo estranho

Procon reduz multas da Energisa e Saneatins e não fará novas autuações

Por Redação AF
Comentários (0)

17/10/2016 09h03 - Atualizado há 7 horas
O Ministério Público Estadual (MPE) e a Defensoria Pública do Estado expediram recomendação conjunta ao Procon Tocantins orientando que o órgão altere cláusulas de um Termo de Compromisso que limita seu poder de atuação perante a empresa Odebrecht Ambiental/Saneatins. O Termo de Compromisso a que os órgãos de controle se referem foi firmado entre o Procon e a Saneatins em 13 de janeiro de 2016, estabelecendo que o órgão de proteção do consumidor não instaure novos procedimentos em desfavor da Saneatins nem aplique novas sanções administrativas à empresa. Segundo foi firmado no acordo, a própria concessionária dos serviços de água deve resolver administrativamente os casos referentes a reclamações dos consumidores. O acordo firmado entre o Procon e a concessionária ainda estabeleceu que esta poderá dar as reclamações por resolvidas nos casos que estiverem contemplados pelo Termo de Compromisso, mesmo que os consumidores reclamantes não considerem os casos solucionados. O Termo de Compromisso também estabeleceu que o Procon teria que reduzir em 30% o valor das multas arbitradas anteriormente à Saneatins. Havia um montante de R$ 157.646,36 em multas, que foi reduzido a R$ 110.352,45 pelo acordo. O entendimento do MPE e da Defensoria Pública é o de que, a partir da assinatura do Termo, os consumidores ficaram desassistidos da proteção do Procon em relação às condutivas abusivas da concessionária. Por isso, é recomendado pelos dois órgãos de controle que o Procon e a Saneatins formalizem um Termo Aditivo, de modo a corrigir as falhas do Termo de Compromisso e fazer prevalecer a proteção ao consumidor. A recomendação é assinada pela Promotora de Justiça Kátia Chaves Gallieta, da área de defesa dos direitos do consumidor; e pelo Defensor Público Fabrício Silva Brito, coordenador do Núcleo de Defesa do Consumidor (Nudecon). O Procon terá prazo de 10 dias, após a notificação, para comunicar o Ministério Público e a Defensoria Pública quanto ao cumprimento ou não da recomendação. Energisa Um TAC similar foi firmado entre o Procon e a Energisa, prevendo também a redução das multas aplicadas à empresa no percentual de 30% e o arquivamento dos processos administrativos existentes contra a companhia. A recomendação do MPE e da Defensoria também aponta que seja firmado um Termo Aditivo alterando as cláusulas do acordo. (Ascom MPE)

Comentários (0)

Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.

(63) 3415-2769
Nas Redes
Nosso Whatsapp
063 9 9242-8694
Nosso Email
redacao@arnaldofilho.com.br
Copyright © 2011 - 2018 AF Notícias. Todos os direitos reservados.