De forma presencial

Procurador-geral notifica prefeitos e secretários para não realizarem réveillon e carnaval

Ele cita a variante Ômicron e quantidade limitada de leitos de UTI e clínicos.

Por Agnaldo Araujo | Conteúdo AF Notícias 1.138
Comentários (0)

08/12/2021 10h29 - Atualizado há 1 mês
Réveillon

O Ministério Público de Contas (MPC) recomendou que prefeitos e secretários do Tocantins evitem execução de despesas, repasses ou assunção de dívidas relativas às festividades e comemorações presenciais de réveillon e carnaval apoiados, promovidos ou financiados pelo estado e pelos municípios.

Também orientou que não promovam aglomerações e indicou que mantenham a constante orientação a toda gestão pública e à população sobre os protocolos sanitários adequados para este cenário pandêmico, especialmente, nas festas de final de ano e nos eventos carnavalescos de 2022.

A recomendação é assinada pelo procurador-geral de Contas, José Roberto Torres Gomes. Além dos prefeitos, ela ainda se estende aos secretários estaduais e municipais de Saúde, de Turismo e/ou Cultura do Tocantins, assim como a todos os gestores competentes para atuar nas atividades e áreas afins acerca da realização de festas de final de ano e carnavalescas.

Recomendação do MPC

ÔMICRON

Na recomendação, o procurador cita que a Organização Mundial de Saúde (OMS) reconheceu que a variante da covid-19 denominada Ômicron carece de atenção devido a sua maior probabilidade de transmissão, inclusive, entre vacinados.

Também apontou que “o atual momento demanda reflexões sobre as práticas corriqueiras de realizações de eventos comemorativos de réveillon e carnaval no ano de 2022, a retomada de atividades econômicas e os riscos de uma nova escalada nos índices da pandemia causada pela covid-19, situação agravada com a nova variante Ômicron”.

Outro ponto citado é que diversas cidades brasileiras e no exterior têm cancelado suas atividades festivas, anteriormente programadas para o fim deste ano, por causa do atual cenário pandêmico.

O procurador ainda reconhece que houve uma diminuição no número de contaminados pela covid-19, mas ressalta que há quantidade limitada de leitos de UTI e clínicos da rede pública e privada disponíveis para tratamento de pessoas contaminadas pela doença.

VEJA MAIS 

Recomendação completa  

Comentários (0)

Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.

(63) 3415-2769
Copyright © 2011 - 2022 AF Notícias. Todos os direitos reservados.