Tocantins

SEET trava luta para evitar aumento da carga horária dos profissionais da enfermagem

Por Agnaldo Araujo
Comentários (0)

29/09/2017 09h11 - Atualizado há 1 mês
O Sindicato da Enfermagem no Estado do Tocantins (Seet) travou uma batalha para evitar que a carga horária dos profissionais que representa seja elevada. A disputa é contra o Sindicato dos Estabelecimentos de Serviços de Saúde Privados do Tocantins (SINDESSTO). A proposta é subir de 13 para 15 plantões mensais. Segundo o presidente do Seet, Claudean Pereira, a categoria deve se manter unida nesse período decisivo sobre o futuro da enfermagem. "Precisamos da participação dos trabalhadores, porque essa luta é o começo para uma reforma trabalhista que desfavorece os profissionais. O sindicato deve está forte e presente para defender os direitos de quem precisa", afirmou. O presidente disse ainda que a entidade fará tudo o que for necessário para que que a carga horária dos profissionais não seja aumentada. "Não podemos permitir o aumento destes plantões em um cenário que buscamos a redução da carga horária. O aumento dela seria um retrocesso para a categoria e para assistência, não vamos aceitar esta mudança", pontuou. Nesta quarta-feira (27), o Seet realizou uma nova assembleia geral extraordinária junto com os profissionais da enfermagem da rede privada para deliberar a proposta apresentada pelo Sindessto, referente a Conversão Coletiva de Trabalho (CCT) 2017/2018. Conforme o sindicato, desde o início do mês de agosto o Seet vem tentando a negociação com relação à CCT 2017/2018, contudo o Sindessto se mantém "intransigente" na solicitação de aumento da carga horária. A proposta oferecida foi rejeitada pelos profissionais da enfermagem em assembleia ainda no dia 20 de setembro. Após a assembleia, o Seet se reuniu novamente com o Sindessto, no dia 22 de setembro, e mesmo depois de ser informado da decisão, o sindicato permaneceu irredutível com relação ao aumento da carga horária. Diante da situação, o Seet realizou uma nova assembleia extraordinária para deliberar junto com os profissionais da enfermagem sobre a mudança na jornada de trabalho. A categoria rebateu a proposta do Sindessto e sugeriu um aumento real do salário: foi estipulada uma remuneração para enfermeiros de R$ 4 mil e de R$ 2 mil para técnicos. Os trabalhadores também exigiram a mudança da base de cálculo do adicional de insalubridade e a redução dos plantões de 13 para 10 mensais. Nessa quinta-feira (28), o Seet oficializou o Sindessto com as demandas pleiteadas nas reuniões. Caso o sindicato rejeite ou apresente uma nova contra proposta, o Seet realizará uma nova assembleia geral para tratar da demanda. O Seet também já criou uma comissão com o intuito de acompanhar o andamento do processo.

Comentários (0)

Mais Notícias

De Figueirópolis

Professor do Tocantins vence prêmio nacional com projeto sobre esportes

O objetivo do prêmio é reconhecer o trabalho dos professores que contribuem para a qualidade da educação básica.

Investigação

PF prende médico no Tocantins em operação que investiga corrupção na Saúde

Mandados também estão sendo cumpridos em São Luís (MA), Imperatriz (MA), Parauapebas (PA), Brasília (DF) e Goiânia (GO).

Estado

Bunge Açúcar e Bioenergia abre vagas para jovens engenheiros no Tocantins

As inscrições vão até o dia 9 de novembro.

Nesta quinta, 18

Vagas de emprego para manicure, mecânico, porteiro, zelador e vendedor

As vagas são para todos os níveis de escolaridade e estão distribuídas em nove cidades do Estado.

Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.

(63) 3415-2769
Nas Redes
Nosso Whatsapp
063 9 9242-8694
Nosso Email
redacao@arnaldofilho.com.br
Copyright © 2011 - 2018 AF Notícias. Todos os direitos reservados.