Contribuição científica

Tocantins convoca pesquisadores para estudos sobre vacinas e tratamento do coronavírus

Brasil vai investir R$ 50 milhões nas pesquisas.

Por Redação
Comentários (0)

08/04/2020 11h40 - Atualizado há 1 mês
Há diversas linhas temáticas

Com o objetivo de implementar ações de melhoria para a saúde pública frente a pandemia do coronavírus e outras síndromes respiratórias agudas graves, os governos Federal e Estadual convocaram pesquisadores para desenvolverem projetos de cunho científico, tecnológico e de inovação.

Os projetos podem ser submetidos até 27 de abril com divulgação final para 15 de junho.

Para o presidente da Fundação de Amparo à Pesquisa do Tocantins (Fapt), Marcio Silveira, a contribuição dos pesquisadores do Tocantins é valiosa diante da emergência de saúde pública do nosso Estado, do país e do mundo.

A fundação está articulando a participação de diversos pesquisadores doutores, especialistas na área a fim de apresentar uma grande proposta com consistência técnica e científica, em nome do Tocantins, para contribuir com novas evidências e subsídios ao enfrentamento da pandemia de covid-19 e da tomada de decisão da gestão em saúde”, afirmou.

Desta forma, é importante que os resultados parciais e finais das pesquisas sejam enviados aos ministérios ao longo da execução das pesquisas em tempo real, antes mesmo das publicações cientificas ou sempre que requisitados.

Serão investidos um montante de R$ 50 milhões em todo o país, oriundos de uma parceria do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq), do Ministério da Saúde, Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovação e Comunicações (MCTIC), e conta com o apoio do Governo do Estado através da Fundação de Amparo à Pesquisa do Tocantins (Fapt).

Linhas temáticas

Os participantes devem estar atentos aos critérios de elegibilidade, como possuir título de doutor ou livre docência, ter vínculo com instituições de ensino de execução do projeto, ou se aposentado, comprovar que mantém atividades acadêmicas científicas e podem escolher entre as sete linhas temáticas propostas na chamada pública, tais como:

a)    Tratamento

É um tema que visa apoiar iniciativas de reposicionamento de fármacos, estudos clínicos multicêntricos de cooperação internacional e nacional para avaliação de alternativas terapêuticas para o enfrentamento da covid-19.

b)     Vacinas

Estudo para o desenvolvimento de vacinas preventivas ou terapêuticas contra covid-19 para apoiar estudos pré-clínicos visando à criação de vacinas contra a pandemia.

c)    Diagnóstico

É um tema que propõe aprimoramento de novos testes diagnósticos para coronavírus, de antígenos virais da covid-19, que sejam prioritariamente testes rápidos, multiplex de baixo custo e “point of care” (teste no ponto de atendimento). Além de avaliação da acurácia de testes diagnósticos para covid-19.

d)    Patogênese e História Natural da Doença

Desenvolvimento de estudo para avaliação da patogênese e da história natural da doença causada por SARS-CoV-2. Que inclui identificação de hospedeiros animais, e de mecanismos de transmissão e disseminação viral, avaliação da persistência do vírus em fluidos corporais e superfícies, analise do período de incubação, carga viral, marcadores de gravidade, dentre outros.

e)    Carga de Doença

Uma linha de pesquisa que avalia a carga da doença (DALY) relacionada à covid-19, custos da doença e perda de produtividade.

f)     Atenção à Saúde

Estudo científico que avalia a atenção à saúde nos três níveis de complexidade frente à epidemia de covid-19, dos usuários dos sistemas de saúde público e privado, incluindo a efetividade do atendimento pré-clínico, identificação de estratégias para melhorar o processo de cuidado, avaliação no tempo adequado, necessidade de isolamento domiciliar e hospitalar em pacientes com suspeita e conformação do covid-19.

g)    Prevenção e Controle

Esse tema avalia o uso de EPI na prevenção, controle e manejo da covid-19 e outras síndromes respiratórias agudas graves, como uso de máscaras para pacientes e comunidade, tempo de uso seguro para os profissionais de saúde. Além de estudos sobre aceitabilidade e cumprimento das medidas de prevenção, dentre outros aspectos.

Os detalhes da chamada estão disponíveis aqui.

(Geórgya Laranjeira)

Comentários (0)

Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.

(63) 3415-2769
Copyright © 2011 - 2020 AF Notícias. Todos os direitos reservados.