Saúde

Um dia após cirurgia de Wanderlei, Ministério Público flagra problemas em leitos de UTI do HGP

Serviços são terceirizados à empresa Associação Saúde em Movimento (ASM).

Por Redação 778
Comentários (0)

19/08/2023 08h35 - Atualizado há 7 meses
UTI Pediátrica do HGP

O Ministério Público do Tocantins (MPTO) constatou, nesta sexta-feira (18/8), irregularidades nos setores de Unidade de Terapia Intensiva (UTI) adulta e pediátrica do Hospital Geral de Palmas (HGP). A fiscalização foi feita pela equipe do Centro de Apoio Operacional da Saúde (CaoSAÚDE).

Na ala da UTI pediátrica, verificou-se que havia falta de alguns profissionais, medicamentos e insumos. Já na ala adulta, o MP apurou que alguns leitos estariam desocupados por falta de trabalhadores.

Os serviços das UTIs são terceirizados pelo Estado, sendo executados pela empresa Associação Saúde em Movimento (ASM). A prestação do serviço vem sendo acompanhada pelo MP. Em junho, a 27ª Promotoria de Justiça da Capital requereu à Justiça a suspensão da gestão terceirizada do serviço de UTI pediátrica no HGP. O caso ainda está em análise no Judiciário.

Na última quarta-feira (16), o MPTO obteve decisão judicial para que o Estado preste esclarecimentos acerca do suposto atraso no pagamento de funcionários, por parte da ASM – o que estaria prejudicando os serviços prestados à população. A decisão também obriga o cumprimento, imediato, de plantão médico diário na UTI pediátrica.

A inspeção ocorreu um dia depois de o governador Wanderlei Barbosa passar pela unidade para realizar uma cirurgia de emergência. Na ocasião, ele elogiou a estrutura do hospital e as equipes de profissionais de saúde.

Providências

Os relatórios com as irregularidades constatadas na vistoria serão enviados aos promotores de Justiça Araína Cesárea, titular da 27ª Promotoria de Justiça da Capital, responsável pelos procedimentos relacionados à UTI pediátrica, e Thiago Ribeiro Franco Vilela, titular da 19ª Promotoria de Justiça da Capital e que atua para resolver questões referentes à UTI adulta do HGP, para que as devidas providências sejam tomadas.

No último dia 15, o MPTO promoveu uma audiência administrativa com a finalidade de acompanhar a prestação do serviço de Terapia Intensiva Adulta no HGP. Na oportunidade, Thiago Ribeiro, cobrou esclarecimentos sobre a qualidade dos serviços prestados pelos profissionais.

Na ocasião, o representante da empresa ASM informou que alguns profissionais foram substituídos e que as equipes estão participando de treinamentos para solucionar os problemas da qualidade de mão de obra.

Comentários (0)

Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.

(63) 3415-2769
Copyright © 2011 - 2024 AF. Todos os direitos reservados.