Combate à criminalidade

CNA e Governo Federal vão prevenir e combater a criminalidade no campo

Por Agnaldo Araujo
Comentários (0)

19/06/2018 10h42 - Atualizado há 1 mês
A Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil (CNA) e o Ministério Extraordinário da Segurança Pública vão atuar de forma conjunta para prevenir e combater a criminalidade no campo. A parceria prevê, entre outros pontos, a inclusão do tema na pauta da Política Nacional de Segurança Pública e Defesa Social (PNSPDS), além de medidas para a redução de ocorrências e viabilização de investigação criminal e a futura criação de uma comissão formada por CNA e governo para discutir propostas para a segurança no campo. Essas iniciativas surgiram a partir do lançamento do estudo sobre a criminalidade no campo, desenvolvido pela CNA e entregue ao ministro da Segurança Pública, Raul Jungmann, que propôs a comissão, ao presidente da Câmara, Rodrigo Maia, e outras autoridades, com o objetivo de desenvolver estratégias para prevenção e combate aos crimes no meio rural. O Observatório da Criminalidade no Campo foi criado em 2017 pela CNA, por meio do Instituto CNA, para oferecer aos produtores e aos trabalhadores rurais um espaço para relatos sobre a ocorrência de algum crime ou ato criminoso em sua propriedade, informando ao Sistema CNA os principais dados. De acordo com o secretário-executivo do Instituto CNA, André Sanches, a proposta de criação da comissão é uma demonstração do poder público em garantir mais segurança aos produtores rurais, que representam o setor mais importante da economia brasileira. “Vamos continuar atuando para a realização de tarefas para assegurar a produção de conhecimento e a qualificação dos dados relativos ao tema, que propiciem o melhor diagnóstico, a definição de metas e a avaliação dos resultados das políticas de segurança pública, em relação à criminalidade comum que atua no campo”, destacou Sanches. Na busca pela garantia de mais segurança aos produtores rurais brasileiros, a comissão conjunta atuará ainda na identificação de iniciativas de prevenção e combate à violência nas áreas rurais, difundindo as boas práticas e incentivando a expansão das já existentes. A iniciativa é uma ação complementar ao projeto de lei que instituiu o Sistema Único de Segurança Pública, sancionado pelo Presidente da República, Michel Temer, nesta semana. O SUSP propõe o envolvimento dos entes federados para a prevenção e enfrentamento da violência no Brasil. Para o consultor em segurança da CNA, Rodney Miranda, que também é um dos idealizadores do SUSP, o trabalho conjunto entre a CNA e o Ministério Extraordinário da Segurança Pública garantirá mais segurança aos produtores brasileiros. “No âmbito do SUSP haverá a formação de um completo banco de dados criminais, padronizando e unificando as informações dos diversos órgãos direta ou indiretamente envolvidos com o tema”, declarou. O consultor da CNA informa que serão implantadas políticas de segurança pública nacional, estaduais e municipais, com indicadores, metas e aferição de resultados, como parâmetros para investimentos a serem realizados também no meio rural. Desta forma, para mapear os casos de violência no campo, a CNA criou o Observatório da Criminalidade no Campo. Os produtores rurais que sofreram algum tipo de crime no campo podem enviar foto, áudio ou vídeo para (61) 99834-7773. A denúncia é anônima.

Comentários (0)

Mais Notícias

Redes Sociais

Menos de 10% das imagens que circulam no WhatsApp são verdadeiras, diz pesquisa

Levantamento foi feito em 347 grupos verificou fotomontagens e mensagens falsas.

Festa

Turnê 'Buteco do Gusttavo Lima' desembarca em Palmas no dia 1º de dezembro

O 'Buteco' terá a locução do apresentador Cuiabano Lima.

FORA DO AR

YouTube fica fora do ar por mais de 1h no mundo inteiro na noite desta terça

Site de vídeos apresentou erros, assim como os aplicativos para smart TVs e smartphones

Em 2019

Após AnaVitória, gêmeas Maiara e Maraísa vão estrear comédia no cinema

A dupla que cresceu em Araguaína aguarda apenas um ajuste na agenda para marcar presença no longa.

Saúde Mental

Não chame de ansiedade: 8 exemplos de como banalizamos as doenças mentais

Frequentemente utilizamos na linguagem cotidiana termos sobre transtornos que incapacitam. Às vezes, levam ao desrespeito dos direitos das pessoas afetadas por essas doenças

Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.

(63) 3415-2769
Nas Redes
Nosso Whatsapp
063 9 9242-8694
Nosso Email
redacao@arnaldofilho.com.br
Copyright © 2011 - 2018 AF Notícias. Todos os direitos reservados.