Leitura

Escritor de Araguaína lança seu primeiro livro infantil, O Gato Dom, e ensina valores importantes

'Carinho, cuidado e amor tem um poder muito grande de nos transformar'.

Por Redação 617
Comentários (0)

22/11/2022 08h32 - Atualizado há 1 ano
Escritor Francisco Neto Pereira Pinto

No dia 24 de novembro, quinta-feira, às 19h, acontecerá o lançamento presencial do livro Infantil 'O Gato Dom', do servidor da UFNT, câmpus de Araguaína, Francisco Neto Pereira Pinto. O evento será no auditório central do Centro Universitário Presidente Antônio Carlos – Unitpac, e toda a comunidade está convidada.

O autor é psicanalista, secretário e professor do Mestrado em Demandas Populares e Dinâmicas Regionais da Universidade Federal do Norte do Tocantins (UFNT), e membro da Academia de Letras de Araguaína e Norte do Tocantins (Acalanto). Ele já lançou dois outros livros literários, do gênero conto: o primeiro - Sobre a vida e outras coisas, em 2018, e À beira do Araguaia, em 2021.

Ouça uma trecho da leitura do livro: https://youtu.be/TYoZWDrxF8Y

Sobre o livro

Trata-se de uma narrativa em que um casal, Pedro e Ana, e seu filho de sete anos, Téo, resolvem adotar um gato abandonado, que dorme na forquilha de uma árvore em frente a um restaurante. Dom nunca conheceu sua família biológica, e não tem a menor ideia de como é a convivência em família. Para viver, então, no seu novo lar, terá de aprender a lidar com conflitos e a superar mágoas, a não guardar rancor e perdoar. A grande pergunta que surge é: será que ele conseguirá?

Como surgiu a ideia sobre o livro?

Esta é uma pergunta que já foi feita várias vezes ao autor, que se aventura pela primeira vez a escrever uma narrativa infantil. Ele responde o seguinte: “quando meu filho Théo nasceu, em junho de 2021, eu decidi que gostaria de escrever uma história para ler para ele no futuro. Foi aí que me veio a motivação suficiente para escrever o Gato Dom. A história sobre o gato já estava na minha cabeça havia tempos, mas nunca tinha dado muita importância. Na verdade, adotamos um gato de rua quando nossa primeira gata, a Calíope, teve câncer. Ele era um gato arredio, desconfiado, que mordia e atacava com as unhas com muita facilidade. Tenho várias mordidas dele nas pernas. Mas decidimos não abandoná-lo por causa disso. Hoje ele é bastante dócil e carinhoso, inclusive com o Théo, que ainda é uma criança. Eu tinha vontade de escrever sobre isso: como o carinho, o cuidado e amor tem um poder muito grande de nos transformar. Foram essas duas experiências que me motivaram a escrever o Gato Dom. Espero que gostem.”

O que o leitor pode esperar da leitura do livro?

Luiza Helena, professora e poetisa, que escreve a quarta capa do livro, diz: “Para você, leitor, que chegou a este livro pelo amor aos gatos, prepare seu coração. Que destino se reserva a Dom, o gatinho herói desta história? Sedutor e manhoso, dono de seu destino e irrequieto, livre para ser o que quiser, como ensina a sua raça, achará asilo definitivo, uma família para abrigá-lo dos dissabores do tempo? Gente de casa, com comida e cuidado pode entender linguagem e jeito de gatos e perdoar suas muitas travessuras? Essa é uma história que fala, sobretudo, de amor, de modos como o afeto vai se constituindo em nós, as tarefas que esse sentimento demanda, os gestos que correspondem ao genuíno sentimento de amizade. Pelas aventuras e desventuras de Dom, vemos que o amor nem sempre é algo para viver sem dissabores, porque a diferença de nossas naturezas pode causar incompreensões e afastamentos.  Já não avisara o poeta Camões que “tão contrário a si é o mesmo amor”? Quem tem coração que se prepare, porque viver dá trabalho, e amor então... Essa primeira narrativa de Francisco dedicada a crianças mostra a sensibilidade de um autor que se faz menino entre meninos, um quase gato entre gatinhos. Mistura de bela prosa com muita poesia”.

Comentários (0)

Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.

(63) 3415-2769
Copyright © 2011 - 2024 AF. Todos os direitos reservados.