Primeira indígena

Estudante indígena conclui doutorado pela UFT de Araguaína após longa trajetória

Por Agnaldo Araujo
Comentários (0)

08/08/2017 15h23 - Atualizado há 1 mês
Um dos grandes anseios que eu tenho é que eu seja exemplo para outras pessoas. Para que elas vejam que é possível: alguém que saiu de uma aldeia, que estudou em escola pública e que tem diferenças culturais”, assim descreve Nahuria Rosa Karajá Javaé, prestes a se tornar a primeira estudante indígena a ter cursado graduação, mestrado e doutorado pela Universidade Federal do Tocantins. A defesa da tese de doutorado da indígena ocorreu na tarde desta terça-feira (08), no auditório do Programa de Pós-Graduação em Ciência Animal Tropical (PPGCat), em Araguaína. Nahuria estudou o ensino fundamental na aldeia com seu povo Karajá. Já para cursar o ensino médio ela precisou se mudar para a cidade de Formoso do Araguaia, e por ser muito jovem, seus pais a acompanharam na mudança para que ela completasse os estudos. Assim como sua família a acompanhou para a conclusão de ensino médio, a escolha pela faculdade que ela deveria fazer também foi uma decisão de interesse coletivo pelos familiares de sua aldeia. “Todo mundo sentou e decidiu qual curso seria o ideal para a nossa realidade. A conclusão foi por Medicina Veterinária, que é muito bom pela região que a gente mora. Depois que eu entrei é que me apaixonei porque veterinária é um curso muito bonito”, afirmou. Aprovada na UFT para o curso que ela e sua família queriam, a estudante mudou-se da região sul do Tocantins para o município de Araguaína, ao norte. A trajetória que começou na graduação teve sequência no mestrado e agora vive a conclusão de mais um capítulo, que é o doutorado. Nahuria teve suporte do Programa Institucional de Monitoria Indígena (Pimi), colaborações de colegas e professores da UFT, assim como também colaborou com outros colegas como monitora de disciplina. “Eu sou fruto da UFT. Fiz a graduação e a pós-graduação aqui. Sou muito grata aos professores e espero colocar em prática o que aprendi”, pontuou. Aos 28 anos, Nahuria já pensa em como se dará sua contrapartida. “Eu acredito que com o tempo as coisas vão dar certo. Eu quero dar um sentido verdadeiro a tudo isso. Ainda que seja pouco, eu quero fazer a diferença. E nós vamos trabalhar na nossa terra”, finalizou.

Comentários (0)

Mais Notícias

De bem com a saúde

Bronzeamento natural faz sucesso no Tocantins, mas há riscos para a saúde

Essa técnica é realizada com a luz natural, no começo do dia, geralmente até às 8h.

Redes Sociais

Menos de 10% das imagens que circulam no WhatsApp são verdadeiras, diz pesquisa

Levantamento foi feito em 347 grupos verificou fotomontagens e mensagens falsas.

Festa

Turnê 'Buteco do Gusttavo Lima' desembarca em Palmas no dia 1º de dezembro

O 'Buteco' terá a locução do apresentador Cuiabano Lima.

FORA DO AR

YouTube fica fora do ar por mais de 1h no mundo inteiro na noite desta terça

Site de vídeos apresentou erros, assim como os aplicativos para smart TVs e smartphones

Em 2019

Após AnaVitória, gêmeas Maiara e Maraísa vão estrear comédia no cinema

A dupla que cresceu em Araguaína aguarda apenas um ajuste na agenda para marcar presença no longa.

Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.

(63) 3415-2769
Nas Redes
Nosso Whatsapp
063 9 9242-8694
Nosso Email
redacao@arnaldofilho.com.br
Copyright © 2011 - 2018 AF Notícias. Todos os direitos reservados.