Saúde

Pessoas que tiveram Covid podem sofrer inflamações no coração, alerta cardiologista

Pacientes devem fazer exames até 30 dias após ter o diagnóstico da doença.

Por Redação 606
Comentários (0)

24/03/2022 15h07 - Atualizado há 3 meses
Pacientes devem fazer exames preventivos

Pessoas que foram infectadas pelo SARS-CoV-2 (novo coronavírus), causador da Covid-19, devem ficar atentas ao sistema cardiovascular. O alerta é do médico cardiologista Henrique Furtado que ressalta a importância de um check-up com especialista para pessoas que tiveram a doença, tendo ou não sintomas graves. Segundo o cardiologista, o principal alerta é com relação à possível inflamação do músculo do coração, chamada de miocardite, por isso, os pacientes devem procurar um médico até 30 dias após a Covid-19.

“A miocardia pode causar outros problemas no coração e o quanto antes for diagnosticada, melhor e mais fácil é o tratamento”, assegura o cardiologista. Henrique Furtado também destaca que esse cuidado não é indicado somente aos pacientes com doenças cardíacas anteriores, mas para todos os que foram infectados com o novo coronavírus. “Mesmo que não exista um protocolo explicito, é necessário dar atenção à possibilidade de sequelas no sistema cardiovascular na fase pós-covid e acompanhar, caso haja alguma alteração no paciente”, assegurou o médico. 

Os pacientes que precisaram de internação em Unidades de Tratamento Intensivo (UTIs), ou de respiradores por causa da Covid-19, devem fazer um check-up mais detalhado, com pedido de ecocardiograma ou tomografia, segundo informou Henrique Furtado. Para aqueles que tiveram sintomas leves do vírus o acompanhamento médico será com exames clínico e laboratorial. 

Alguns estudos apontam que os mecanismos pelos quais o vírus SARS-CoV-2 pode afetar o coração são reversíveis e não chegam a ter sequelas permanentes, mas só os exames clínicos e de imagem poderão atestar o grau de importância do problema. “Os estudos que se utilizaram de ecocardiografia, por exemplo, para avaliação de pacientes na fase pós-Covid, mostraram redução da fração de ejeção no músculo do coração, derrame pericárdico e hipertensão pulmonar em até 16% dos pacientes”, informou Henrique Furtado. 

“Não se trata de um alerta para assustar as pessoas que contraíram a Covid, mas de um cuidado que precisa ser tomado para assegurar que o vírus, ainda muito estudado pela ciência, não cause maiores danos à saúde dos infectados”, destacou o cardiologista.

Comentários (0)

Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.

(63) 3415-2769
Copyright © 2011 - 2022 AF Notícias. Todos os direitos reservados.