Seet
Sobral – 300×100

Secretário é xingado após reunião com profissionais da enfermagem em greve

Agnaldo Araujo - |
Foto: Divulgação
Secretário da Administração do Estado do Tocantins, Geferson Barros

O secretário de Administração do Estado do Tocantins, Geferson Barros, afirmou que foi agredido quando saía de uma reunião entre representantes do governo estadual e do Sindicato dos Profissionais da Enfermagem do Tocantins (Seet), por volta das 21 horas da na noite de segunda-feira (29/02), na frente do prédio da secretaria.

Segundo a Secretaria de Comunicação do Estado (Secom), Geferson estava saindo do local quando foi cercado pelos manifestantes. O secretário registrou um Boletim e Ocorrência (B.O) em que afirma que foi xingado e constrangido por um grupo de 60 pessoas.

Os profissionais da enfermagem estão em greve há 29 dias. Eles reivindicam melhores condições de trabalho, alimentação, e pagamento de retroativos, adicional noturno e gratificação.

Sindicato se manifesta sobre episódio

O presidente do Seet, Caludean Pereira Lima, divulgou nota afirmando que o sindicato “repudia toda e qualquer forma de agressão e que esta conduta não condiz com o movimento da categoria”.

“Tínhamos agendado uma reunião com o Secretário da Administração para tratar da nossa demanda, contudo, mais uma vez o gestor da pasta informou não ter condições de apresentar nenhuma proposta para os profissionais e ainda se recusou a negociar com a categoria enquanto persistir o movimento grevista”, explicou o Seet.

O sindicato ainda disse que vem buscando “incessantemente” o diálogo e a negociação das demandas junto aos gestores, desde que o movimento se iniciou, contudo, de forma “intransigente” o Secretário de Administração não apresentou nenhuma proposta para categoria, alegando que “não faz negociações com grevistas”.

“Queremos manifestar também a nossa solidariedade a profissional de enfermagem que devido ao grande estresse e dificuldades financeiras que a mesma vem vivendo tomou esta atitude impensada”, finalizou.

Quanto ao episódio, o sindicato explicou que estava repassando aos profissionais as informações da reunião, quando o Secretário de Administração foi recebido por protestos pelos profissionais que aguardavam em frente à secretaria uma proposta por parte do Governo, momento em que uma das manifestantes “perdeu o controle e o agrediu verbalmente”.

“Porém, os demais profissionais que naquele momento se manifestavam contra a forma intransigente do gestor em tratar a pauta da enfermagem, foram até o carro para tentar conter a colega”, acrescentou o Seet.

O sindicato, contudo, manifestou solidariedade a profissional de enfermagem que “devido ao grande estresse e dificuldades financeiras” tomou uma atitude impensada.

Dificuldades financeiras dos servidores

Conforme o Seet, os profissionais que estão há 29 dias de greve são pais e mães de famílias que estão diante de uma dificuldade financeira jamais vivenciada, pois o Governo do Estado está em débito com os profissionais desde que assumiu a atual gestão.

O sindicato lembra que foi oferecida uma linha de crédito específica aos profissionais para ser paga com o recebimento dos retroativos de insalubridade, adicional noturno e progressões. Contudo, o governo não está efetuando o pagamento, mas os bancos estão fazendo a cobrança aos servidores.

Com isso, muitos dos profissionais de enfermagem, que em média recebem R$ 1.200,00 estão tendo que arcar com parcelas de mais de R$ 700,00 – sem contar aqueles que já estão com o nome negativado nos órgãos de proteção ao crédito.

 

Comentários pelo Facebook: