Wanderlei Barbosa culpa Amastha por rombo de R$ 50 milhões na previdência dos servidores de Palmas

Agnaldo Araujo -
Foto: Divulgação
Deputado diz que PreviPalmas não faria um investimento tão grande sem o conhecimento do prefeito

Nielcem Fernandes//AF Notícias 

O deputado estadual Wanderlei Barbosa (SD) cobrou explicações do prefeito da capital, Carlos Amastha (PSB), sobre o dinheiro pertencente aos servidores que foi aplicado em fundos temerários pelo Instituto de Previdência Social do Município de Palmas (PreviPalmas). O rombo estimado pode chegar a R$ 50 milhões.

O parlamentar responsabilizou o pré-candidato ao Governo do Estado pelos danos causados ao erário do município durante a sessão dessa quarta-feira (14) na Assembleia Legislativa. Ele também falou com exclusividade ao AF Notícias.

Wanderlei se mostrou preocupado com o déficit na previdência dos servidores municipais e questionou a legitimidade da aplicação, uma vez que a empresa Fundo Cais Mauá, já havia realizado através da Icla Trust (agora NSG Capital, a mesma que geria o Fundo BFG, das churrascarias Porcão) uma aplicação que rendeu prejuízo de R$ 330 milhões ao Instituto de Gestão Previdenciária do Tocantins (Igeprev).

“Minha preocupação é que com tantas instituições financeiras, o dinheiro foi aplicado justamente na Cais de Mauá que já rendeu um enorme prejuízo ao Igeprev. Se não conseguirmos recuperar esses recursos, o prejuízo ao sistema previdenciário de Palmas será muito grande. A saída do gestor ficou muito confusa“, disse, referindo-se à Fábio Martins Costa, ex-diretor do Igeprev exonerado na segunda-feira (12) por Amastha.

Wanderlei afirmou também que o grande culpado pelo investimento temerário é o prefeito Carlos Amastha, que deveria ter ciência de tal aplicação. Segundo o parlamentar, o ex-diretor disse que não tinha autonomia para realizar a operação.

“Eu não tenho dúvidas de que um gestor não deixaria apenas um diretor aplicar esse montante (R$ 30 milhões) sem passar pelo seu crivo. Quem nomeia o pessoal de primeiro escalão é o prefeito. Ele não pode se esconder de tantas coisas feitas contra o erário. Não é por que tem pretensões ao Governo que ele pode jogar a culpa para os outros e dizer que está sendo vítima de perseguição”, declarou.

Além de responsabilizar o prefeito pelo prejuízo, Wanderlei cobrou uma Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) na Câmara de Palmas para apurar os fatos e garantiu que vai acompanhar o desenrolar do caso.

“O comportamento do prefeito em relação ao dinheiro público é muito confuso. São altos valores e estamos falando apenas dessa operação que está em pauta. Ai tem muita coisa para ser explicada. Vamos explicar esse prejuízo ao sistema previdenciário municipal a partir do momento em que a CPI da Câmara for instaurada“, pontuou.

Para o deputado, Palmas está sendo maquiada para esconder a má gestão. “Tenho interesse nessa discussão e vou acompanhar de perto por que vejo Palmas como uma cidade que está sendo maquiada para esconder esse má gestão do dinheiro público. As autoridades estão atentas e isso é fundamental para aplicação dos recursos e botar medo nessa turma que se acostumou com essa prática. Não vamos nos calar diante disse. Vamos chamar a atenção dos órgãos de fiscalização para que os responsáveis sejam penalizados por esse prejuízo aos cofres públicos”, concluiu.

Comentários pelo Facebook: