Augustinópolis

Câmara cassa mandato de prefeito acusado de pagar 'mensalinho' a vereadores

Após o afastamento, o vice Vanderelei Alves de Arruda (PPS) assumiu o comando da cidade.

Por Raimunda Costa 518
Comentários (0)

14/03/2019 11h10 - Atualizado há 1 semana
Prefeito de Augustinópolis é cassado.

A Câmara Municipal de Augustinópolis, no norte do Estado, cassou o mandato do prefeito Júlio da Silva Arruda (PRB) na noite desta quarta-feira (13). O pedido de cassação foi proposto, analisado e julgado pelos suplentes que assumiram após o afastamento de 10 vereadores acusados de receber 'mensalinho'. A decisão foi unânime.

O prefeito não compareceu à sessão de julgamento e foi representado pelo advogado Francisco Antônio de Lima, indicado pelo plenário para defendê-lo. Apesar da decisão, o prefeito deve recorrer à Justiça.

Após o afastamento do prefeito, o vice Vanderelei Alves de Arruda (PPS) assumiu o comando da cidade. 

O pedido de cassação foi apresentado após a Polícia Civil deflagrar a Operação Perfídia, em janeiro deste ano, que descobriu um esquema de pagamento de propina para aprovação de projetos de lei enviados à Câmara pela Prefeitura.

Os pagamentos variavam de R$ 1 mil até R$ 8 mil por mês, e eram determinados em razão da força política que cada vereador exercia dentro da estrutura administrativa e social. 

Todo o esquema seria "negociado, gerenciado e liderado" pelo vereador Edvan Neves da Conceição (MDB), conhecido como Neguin da Civil, por ser policial civil e, por isso, ele recebia em patamar superior.  

A vereadora Maria Luísa de Jesus do Nascimento, Luizinha (PP), também recebia valores mais expressivos em razão da sua força política, com ligações estreitas com o Palácio Araguaia. Segundo a denúncia, todos ou quase todos os vereadores teriam efetivamente envolvimento com a 'mesadinha'.  

Os pagamentos seriam realizados em espécie a partir do dia 20 de cada mês na própria sede da Prefeitura de Augustinópolis. 

Comentários (0)

Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.

(63) 3415-2769
Copyright © 2011 - 2019 AF Notícias. Todos os direitos reservados.