eleição oab

Em carta, Rita Rocha sobe tom contra Gedeon Pitaluga e conclama união das oposições

'Presidente não tem moral e nem ética para ali estar', disparou a candidata a vice.

Por Redação
Comentários (0)

08/11/2021 09h08 - Atualizado há 2 meses
Advogada Rita Rocha

A fusão das chapas de oposição na disputa pela presidência da Seccional da OAB no Tocantins foi oficializada no final da última semana. Agora, a chapa Ordem na Casa tem Ester Nogueira como candidata a presidente e Rita Rocha, com vice.

Nesta segunda-feira (8/11), Rita Rocha divulgou uma carta explicando a importância da união das oposições e conclamando toda a advocacia a evitar o que ela chamou de “descaminho”.

“REUNIMOS condições de elegermos alguém que represente OPOSIÇÃO ao sistema corrupto, pessoal e prejudicial que ora permeia a OAB do Tocantins”, afirma Rita Rocha, em referência à gestão de Gedeon Pitaluga, candidato à reeleição.

VEJA MAIS 

Conforme a candidata, Gedeon Pitaluga enfrenta alguns processos na Justiça, ele é condenado por estelionato na Justiça Federal do Tocantins e foi denunciado pela PGR (Procuradoria Geral da República) em processo que tramita no STJ (Superior Tribunal de Justiça) sobre possíveis vendas de sentenças.

“Sem a mudança na gestão, não haverá a mantença dum círculo vicioso de corrupção que ora está instalada na OAB, capitaneada pelo Presidente, que não tem moral e nem ética para ali estar”, diz outro trecho da carta.

VEJA MAIS

Conclamando toda a oposição, Rita Rocha pede “que nos unamos e lutemos bravamente nestas eleições, com sangue, suor e lágrimas, porque temos coragem e condição política para isso”. 

Confira, abaixo, a carta de Rita Rocha na íntegra:

Tenho muito ORGULHO da luta travada até aqui.

REUNIMOS condições de elegermos alguém que represente OPOSIÇÃO ao sistema corrupto, pessoal e prejudicial que ora permeia a OAB do Tocantins.

Minha postura sempre foi de comprometimento com a Ordem dos Advogados do Brasil, buscando juntar forças e permitir que nesta eleição expurgássemos a possibilidade de sermos levados a uma perigosa e irreversível situação de vexame e lamaçal em que a Advocacia demorará anos para reverter.

Em toda a minha vida na Advocacia nunca havia me encontrado em um momentos tão decisivo para o futuro da OAB/TO em que as soluções dos grandes desafios dependem dos líderes da Oposição.

Nosso primeiro compromisso há de ser com a rompimento das amarras que hoje a OAB tem com governos e partidos, com interesses menores, com a corrupção e os vexames a que a Advocacia está exposta.

Nesta eleição, as condições políticas são desafiadoras, vejo a angústia com o possível despedaçamento da OAB em razão da divisão instalada na Oposição. A fragmentação política não nos ajuda neste delicado momento. Os maiores interessados nessa nossa convergência é a Advocacia que sonha com os ideais que ardentemente defendemos.

Na escolha que ora faço, o pano de fundo é sair do sombrio, dos desatinos que se vê na atual gestão

Sem a mudança na gestão, não haverá a mantença dum círculo vicioso de corrupção que ora está instalada na OAB, capitaneada pelo Presidente, que não tem moral e nem ética para ali estar, mas, usando de todos os meios e condições, pretende ali se manter, num interesse pessoal, sem se preocupar em mergulhar ainda mais a OAB/TO em uma crise mais profunda e dramática.

Toda a Advocacia tem a responsabilidade de evitar esse descaminho. É hora de juntar forças e escolher bem, antes que os acontecimentos nos levem para um abismo maior que o ora vislumbramos. Pensemos no Bem maior e não apenas nos interesses de cada um, neste ou naquele candidato. É a Advocacia e a OAB que está em xeque diante da sociedade e das instituições, e se não nos unirmos, será impossível mudar. É isto o que está em jogo: A Advocacia e a OAB.

Conclamo a todos da oposição e que sonham com uma OAB livre, democrática e solidária, que nos unamos e lutemos bravamente nestas eleições, com sangue, suor e lágrimas, porque temos coragem e condição política para isso.

Eis porque resolvemos nos unir, eis porque resolvo ir ao sacrifício, eis porque vou a luta, eis porque, de forma serena, honesta, pacífica e leal aos meus princípios e aos que até aqui caminham comigo, me uno em busca do ideal de uma OAB melhor, mais justa, mais fraterna, mais solidária.

Rita Rocha

Ester Nogueira e Rita Rocha no evento que marcou a união das chapas

Comentários (0)

Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.

(63) 3415-2769
Copyright © 2011 - 2022 AF Notícias. Todos os direitos reservados.